12 dicas que aprendi no primeiro ano de vida do meu filho img_1985


Sim! Uma para cada mês! Passo a passo. A montanha-russa disparou na íngreme subida da gravidez e, lá em cima, começa a descer despudoradamente veloz, colocando você de cabeça para baixo em loops radicais e testando em parafusos seu condicionamento cardíaco! Você vai perder o fôlego em alguns momentos e obviamente gritar: mãããeeeee me tira daqui!!!! Mesmo tendo 46 anos como eu. Calma. Vai dar tudo certo no final. E eu tenho dicas para ajudar você nesse momento inicial. Aperte os cintos! Confira a trava do carrinho (nunca confie em processos puramente mecânicos - dica extra logo no início). Vai começar a descida, aproveite a viagem e acredite, no fim você vai querer ir de novo!

1 - Aproveite o momento!

Na hora do parto, esqueça o que pode dar errado. Concentre-se no momento. Beije sua mulher, sorria, respire. Qualquer coisa que pode dar errado está fora do seu alcance para dar a solução. Aceite. Aproveite a paisagem. Eu passei 9 meses rezando para que meu filho não tivesse a mesma deficiência física que eu. Me dizia: na hora do parto a primeira coisa que farei será olhar a perna dele para saber se é "perfeitinho". Bobagem. De trás da "paredinha" que os médicos fazem para a cesariana ouvi dizer: nasceu e é a cara do pai!!! Olhei emocionado e o João apareceu de bunda pra cima! Minha mulher chorou. Eu? Só fiquei rindo! Feito bobo! Bobo de amor! E a perna dele? Nem olhei. Não importava. Sim, ele era perfeitinho pra mim porque eu o amava desde o primeiro instante.

2 - Aceite ser coadjuvante!

É isso mesmo. Você "não é a mamãe", como dizia o bebê dinossauro naquele seriado antigo. Curta este papel. Aprenda a deixar o protagonismo para o outro. É reconfortante saber que você não é o centro das atenções.

3 - Planeje

"Um plano ruim é melhor que plano nenhum", dizia um amigo da minha infância quando me ensinou a jogar xadrez. Faça cálculos, tente visualizar as situações que viram. E prepare-se para minimizar os impactos das dificuldades. Existe muito na internet que pode ajudar também.

4 - Improvise

Se você programou algo e não foi possível: improvise. Faz parte. Muitos de nós tem enorme dificuldade para improvisar. Improvisar é dialogar com o momento presente. Sim! Se não tem cão, cace com um gato! Improvisar vai fazer a montanha-russa seguir seu curso. É assustador mas você sabe que uma hora termina e poderá então se gabar para os amigos da sua "bravura".

5 - Peça ajuda

Não é fácil e ninguém espera que você passe por tudo isto sozinho. Peça ajuda. Talvez você se surpreenda com a quantidade de pessoas ansiosas por fazer parte deste momento mesmo que seja de uma forma simples e discreta. Mas lembre-se que pedir ajuda é abrir-se a possibilidade de que o outro não fará como você. Tenha paciência e...

6 - Mansidão

Jesus disse com propriedade: felizes os mansos porque herdarão a terra. Calma e tranquilidade. Não fure sinais vermelhos mesmo que você esteja, como eu, levando seu filho para o hospital com uma hipoglicemia no segundo dia em casa. Sua mulher está aflita, seu filho requer cuidado e obviamente você quer chegar rápido. Mas tenha calma. O mesmo vale para o dia a dia da rotina. Ou melhor para a noite a noite. Procure manter uma atitude de mansidão. A ansiedade gera mais ansiedade e tensão. E assim a solução não aparece. Exercite.7

7 - Ouça os amigos mesmo que eles não te ouçam...

Eu cheguei ansioso por cumplicidade e comecei a contar a "última" novidade do João e no meio fui interrompido pelos amigos que emendaram na história do seu filho. Uma história que de tão longa fez com que você perdesse o ímpeto e o fio da meada da sua partilha. Deixe pra lá. Continue assim mesmo procurando os amigos e dividindo com eles o que você vive. Não é tanto o que eles têm para dizer mas principalmente para que você possa se ouvir é ter uma nova percepção do que está acontecendo. Procure os amigos.

8 - Reze

Eu sei, talvez você não acredite em nada. Reze assim mesmo. Eu nunca relacionei oração a uma religião ou mesmo a fé em algo. Para mim, para rezar basta respirar, desejar, amar, perdoar. Uma oração feita assim ajuda muito. Especialmente quando você se sente esgotado. É como se você dissesse ao universo: ei! Sou parte de você! Sinta-se à vontade para me ajudar quando quiser! E ele sempre ajuda!

9 - Dê um tempo

Dê um tempo para sua mulher. Muita novidade por fora e por dentro. Dê um tempo para ela entender o processo e se entender dentro dele. E também dê um tempo para si mesmo. De um jeito diferente. Leia um livro, veja um filme. Por menor que seja o tempo que você reservar para você, será o suficiente para mudar sua energia.

10 - "pilhas não incluídas"

Era assim que os brinquedos vinham na minha infância. Sim! Também com o João. Ele precisa da minha energia desde o início. Se eu estou bem, ele fica bem. O contrário também acontece. Recarregue sua energia e não poupe em dar de si. "É dando que se recebe" diz a conhecida oração de São Francisco. Dar é o próprio mérito de receber.

11 - Durma

Durma sempre que puder. Eu dormia no carro, escondido no trabalho e em qualquer momento que o João também dormia. E  mesmo assim passei o ano todo muito cansado. Imagine sem dormir.

12 - Fique presente

Ficar presente não é somente estar em algum lugar mas, essencialmente, é não estar em outro. Parece maluco mas acontece muito. Se for trabalhar - trabalhe. Na hora de dar atenção ao seu filho - dê toda a atenção. O poeta Fernando Pessoa tinha razão: para ser feliz, sê inteiro!

Por último...

Se tudo estiver bem, avance para a próxima casa!

Não espere problemas. Eles virão. Mesmo inesperadamente. Então, se tudo estiver bem, siga adiante apenas. Não pense em tudo que pode dar errado. Apenas siga e confie que o vagão da montanha-russa permanecerá no trilho e que apesar de todo medo, o passeio será emocionante e você se sentirá feliz por experimentar algo novo e tão entusiasmante! Mantenha sempre o entusiasmo! Continue avançando!

conheça o livro "Para o meu filho que vai chegar" - Clique Aqui