Se você toca ou gostaria de tocar numa banda católica, segue uma lista resumida do que eu aprendi ao longo de 17 anos tocando na banda DOM. Um aprendizado para cada ano:

1 – Deus sempre surpreende!

Ok, você faz seus planos usando o máximo da sua inteligência mas Deus sempre vai surpreender! Como dizia minha avó: o olhar de Deus dobra a esquina.  

2 – Acredite em sonhos!

Um dia, eu acordei de um sonho. Nele, eu estava tocando numa banda e evangelizando nas universidades. Procurei um padre e relatei meu sonho. Ele me pediu que cuidasse da música de um congresso universitário católico e foi a primeira vez que o núcleo do DOM se reuniu. Acredite no seu sonho.

3 – Não despreze o que você viveu até aqui!

Se eu não tivesse estudado violão na faculdade com o Filipe; se o Fred não tivesse saído da banda Bom Pastor; se o Filipe não tivesse se capacitado como produtor e tido experiência em trabalhos musicais acústicos – bem, nada teria sido como foi.

4 – Deus nunca deixa faltar nada para a evangelização!

Quando nos reunimos pela primeira vez nos perguntamos: vamos montar uma banda com 3 violões? Sim. Se é assim que Deus nos preparou até aqui, sigamos. Com toda nossa previdência devemos nos entregar a infinita providência divina.

5 – Saiba enxergar os dons dos outros!

Quando entramos no elevador, depois de um dos primeiros ensaios, o Filipe olhou pra mim e disse: temos um ótimo cantor! Reconhecer as qualidades do outro ajuda a minimizar a frustração com as dificuldades naturais do processo.

6 – Reta intenção!

Ter a reta intenção nos protege de nós mesmos. Das nossas fragilidades humanas. Nossas mesquinhas ambições.

7 – Vida de oração!

Reze. Aprendi que a oração é mais do que a fórmula, apesar da importância desta. A oração é um desejo. Um desejo ardente por Aquele que nos criou e que nos recria constantemente aperfeiçoando em nós o que Ele mesmo começou, como diria santo Agostinho.

8 – Valorize sua identidade!

3 bancos. 3 violões. Nós nos apresentamos por todo país tocando sentado (o que caiu como uma luva para mim que sou deficiente), algo que ainda hoje é incomum na música católica. Valorize quem você é humana, artística e espiritualmente.

9 – Procure por boas canções!

Fred apresentou duas musicas ao Filipe, produtor da banda. Este gostou da estrofe de uma e do refrão da outra. O Fred não bateu o pé: fez o dever de casa e assim surgiu “A Volta” uma canção importante do nosso primeiro CD. O talento dos dois gerou uma ótima música.

10 – Não grave o que você não vive!

Em cada etapa da nossa trajetória posso dizer feliz: cada CD retrata um momento que vivemos. Nem sempre se pode viver a entrega, às vezes vivemos a solidão e a dor. Então, que essa verdade não seja jamais maquiada porque…

11 – A verdade sempre convence!

Ouvi essa frase de um técnico de som. E ele não era católico. A força da Verdade é tão grande que diante dela ninguém pode ignorar sua presença. Por isso, é preciso viver na Verdade e ainda mais, deixar que a Verdade viva em nós!

12 – Tire o zoom!

Novamente, outro técnico de som. Este repetia sempre: tira o zoom, cara! De perto, os detalhes deixam o todo muito borrado! Sim, tire o zoom! Aprenda a enxergar a tudo e a todos com maior amplidão. Especialmente, enxergue o seu ministério com essa ampla dimensão.

13 – Lute pelo que você acredita!

Podem não concordar com você. Mas não podem não saber como você se sente, o que pensa, quais suas perspectivas e motivações. Essa sinceridade produzirá frutos, mesmo que a semeadura seja dolorosa.

14 – Descubra o seu talento!

É preciso descobrir o nosso talento antes que a gente se sinta frustrado por estar desempenhando o talento que nos é solicitado. Ser você mesmo no alto das suas potencialidades e limitações é o único jeito de fazer diferença para o grupo.

15 – Você não é só isso…

Ok, sem pontos de exclamações e com reticências mesmo. Não se esqueça de que por mais sensacional que o trabalho na banda possa ser, você pode ser chamado a fazer mais ou fazer coisas diferentes. Apenas siga o seu coração. Ele é sábio.

16 – Aprenda a subir no palco e a descer do palco!

Não estou falando de escadas de madeira molhadas ou quebradas. Estou falando da nossa alma. É preciso uma grandeza de alma para subir e para descer do palco. É também preciso uma pequenez para fazer as duas coisas. É preciso escavar fundo no coração para que tanto uma como a outra se tornem virtudes em nossa evangelização.

17 – Aprenda a desistir!

Só quem aprendeu a sabedoria de bem desistir pode bem prosseguir. Prosseguir pelo motivo errado é fracassar ainda mais. Desistir aqui tem um sentido mais profundo de desapego. Apegar-se a vocação musical é limitar a vocação principal de todos nós: amar. Só o amor legitima e sustenta todas as nossas outras vocações!

Bem, é isso. Um pequeno resumo, uma pequena partilha. Mas também uma grande esperança de que tantos outros possam experimentar as bênçãos que eu experimento na banda DOM ao longo destes 17 anos.